GT em Saúde e EspiritualidadeHome / GT em Saúde e Espiritualidade

Coordenadora: Janaine Aline Camargo de Oliveira

Contato: jancamargo@hotmail.com

BLOGhttp://gtsaudeespiritualidade.blogspot.com.br/

Compilado das atividades desenvolvidas pelo GT de Saúde e Espiritualidade na Conferência Mundial de Médicos de Família e Comunidade (Novembro/2016)

 


 

ATA da reunião do GT realizada durante o CBMFC 2017, na cidade de Curitiba. 


  • Ata da reunião do GT Saúde e Espiritualidade no Congresso Brasileiro de MFC, em 04/11/2017
  • A reunião foi mediada por Janaine Oliveira, coordenadora do GT.
  • Os presentes se apresentaram e foi trazido breve histórico do grupo, para contextualizar os novos ingressantes: tem havido discussões isolados sobre o tema há mais de década; o início da organização do GT se deu a partir do CBMFC 2013, com pessoas de diferentes credos e filosofias compondo o grupo. Hoje temos um GT oficializado pela SBMFC, com procura crescente e que tem se organizado em frentes de trabalho direcionadas ao cuidado em saúde (prática-clínica), pesquisa e ensino-aprendizagem.
  • Feito apresentação sobre a frente de pesquisa: histórico de estruturação da agenda de pesquisas, mapeamento de interesses, linhas de trabalho e centros de pesquisa. Reforçada a proposta de fortalecimento da rede de pesquisas do GT e descritas as pesquisas em andamento, com enfoque em desperta interesses comuns entre os presentes. Dentre as pesquisas, há 2 mestrados e 3 trabalhos de residentes. 
    1. Validação da FACIT non illness (escala de espiritualidade a ser usada em pesquisas com pessoas saudáveis) 

    2. Revisão sobre espiritualidade e resiliência

    3. Resiliência e espiritualidade no cuidado de pacientes acamados

    4. Relação entre a espiritualidade do profissional de saúde e sua prática clínica

    5. Ensino-aprendizagem em saúde e espiritualidade: intervenção com residentes de MFC

    6. Publicados: Ensino da espiritualidade em módulo transversal / O profissional perante a finitude da vida

    7. Em publicação: Abordagem da espiritualidade a partir do Método Clínico Centrado na Pessoa

    8. Morte

    9.  

    1. Compaixão

    O Prof Eno Dias, membro do GT, orienta 3 das pesquisas em andamento. Alguns membros do grupo tem se articulado para a criação de programa de pos-graduação strictu sensu na área (parceria entre PUC-PR, Faculdade Santa Marcelina e alguns professores membros do GT).
  • Na apresentação sobre a frente de prática clínica, foram listados os objetivos que o grupo previamente firmou.  As atividades que o grupo tem conseguido realizar são a  participação em eventos (Congressos da Wonca, CIMF e CBMFC) e o estudo de habilidades de comunicação, com oferta de treinamentos na área. As discussões tem ocorrido por lista de e-mails e se espera melhorar o trabalho de educação continuada a partir do trabalho com o Blog criado para o grupo.
  • Apresentada a frente de ensino-aprendizagem, destacando a importância da troca de experiência na graduação e residência médica. Como prioridade do grupo nas discussões do congresso do Wonca e, dada a janela de oportunidade de revisão do currículo baseado em competências da SBMFC, foi discutido sobre construção de documento norteador de um currículo baseado em competências.
    • Houve realização parcial da dinâmica do Snowball, a partir da Pirâmide de Miller, levantando quais seriam os conhecimentos essenciais, o que o MFC deveria saber fazer, quais características deveria ter e o que deveria ser capaz de sentir para abordar a temática de espiritualidade na interface com a saúde.
    • Eno compartilhou que lhe foi feito um convite para revisar o currículo de competências da SBMFC e que tem inserido tópicos a cerca do tema saúde e espiritualidade. Janaine colocou que o GT foi convidado para participar da revisão do currículo com a construção das competências esperadas para um MFC em torno do tema saúde e espiritualidade. Segue o texto que o Prof Eno construiu até então:
    • 1. Conhece a relação entre espiritualidade e saúde  e abre espaço na relação com as pessoas para que expressem suas necessidades espirituais relacionadas ao momento de cuidado (competência essencial)
    • 2. Age como facilitador para que se fortaleçam relações promotoras de resiliência entre a pessoa e sua eventual comunidade de fé (desejável)
    • 3. Conhece os elementos estruturantes das crenças mais frequentes no território onde atua e é capaz de selecionar (mineraçao) e por em relevo significante aqueles mais propícios ao fortalecimento da resiliência da pessoa e família no momento do cuidado (competência avançada)
  • Foram feitas sugestões adicionais sobre atividades que poderiam ser abraçadas pelo GT:
    • Abordagem das emoções negativas, em uma perspectiva de ressignificação.
    • Ações visando o autoconhecimento e autocuidado do profissional médico, residente e acadêmico.
    • Ações de territorialização, estimulando o conhecimento dos diferentes contextos espirituais e religiosos da comunidade onde se atua.
  • Compartilhadas algumas experiências acerca da abordagem do tema de saúde e espiritualidade na graduação. Foi mencionada a importância da observação de figuras-modelo em espiritualidade, como um capelão, a fim de o acadêmico ter sua capacidade de entrevista sobre esse tema otimizada. Também foram relatadas experiências de realização de anamnese espiritual em idas às UBS, treino de comunicação com role playing e uso de portfólio. Houve uma experiência de monitoria na área, junto à semiologia. Foi proposto que, aqueles que tenham planos de ensino ou de trabalho escritos compartilhem seus materiais.
  • Propostas de encaminhamentos:
    • Utilização do blog do GT, visando a compartilhar instrumentos usados, planos de trabalho e experiências em torno da abordagem da espiritualidade.
    • Construção de um compilado de instrumentos usados e experiências em torno do ensino da espiritualidade (compilar materiais), bem como planos de ensino.
    • Eno compartilhou o que foi estruturado por ele em termos de competências do MFC no campo da espiritualidade, a fim de que o grupo possa contribuir com sugestões e o documento final seja entregue ainda no mês de novembro, para fazer parte do novo Currículo Baseado em Competências da SBMFC.
    • Aberto espaço para pessoas que gostariam de apoiar a organização científica do Encontro de Ensino-Aprendizagem em BH no ano que vem: Paulo, Eymard, Eno, Arthur, Rafaela, Lilian, Vanessa, Fernanda, Daniel (Montes Claros) .
    • João, especialista em Mindfullness, voluntaria-se para contribuir no encontro ofertando uma oficina sobre compaixão. Feita sugestão de haver, no encontro, momento aberto para apresentação de diferentes ferramentas usadas para abordagem da espiritualidade, como por exemplo a Constelação Familiar e Laboratório do Perdão.
    • Feito convite para as pessoas do grupo assumirem o papel político de agentes difusores da espiritualidade e saúde, ocupando o máximo de espaços possível.
    • Encerrada a reunião com palavras motivacionais, incentivando que todos tenham voz no grupo e reforçando o sentimento de pertencimento. Foi proposto um abraço coletivo visando ao fortalecimento da união, colocando no centro da roda as figuras-chave para a existência do GT.

PARCEIROS

AFILIADOS