Nota de Pesar – Marco Aurélio Da Ros

17 de novembro de 2022

É com profundo pesar e tristeza que recebemos a notícia do falecimento de Marco Aurélio Da Ros, nesta quinta-feira, 17 de novembro. Sanitarista, médico de família e comunidade e professor aposentado da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Marcão foi incansável na luta pelo direito à saúde, pelo SUS e no combate às injustiças sociais. Manifestamos nosso profundo sentimento de pesar e solidariedade à família e aos amigos.

Diretoria da Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC)

Quem foi Marcão da Ros? Uma homenagem de Vinícius Ximenes

Amanheceu um dia mais triste, agora em 17/11/2022.

Faleceu ontem um grande mestre, uma das pessoas que mais admiro na caminhada de MFC e sanitarismo.

Marcão Da Ros foi da primeira turma residência em Medicina Geral Comunitária do Grupo Hospitalar Murialdo, de 1976. Trabalhou nesses anos na comunidade do Morro da Cruz em Porto Alegre. Ele não só atuava como médico em formação, mas morava na própria comunidade em que iniciou a residência.

Foi um inspirador numa época em que a repressão batia pesado e que ideias de transformação, vistas pelos que se achavam donos do poder, não eram bem-vindas. Inclusive, após a conclusão da residência, que na época era multiprofissional, quem era identificado com o Marcão não tinha vida fácil, ou não conseguia ingresso no programa.

Logo após, no início dos anos de 1980, foi pioneiro na implantação de serviços de atenção primária à saúde na cidade de Florianópolis.

Em meados dos anos de 1980 fez mestrado na Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP) e era orientando de Sérgio Arouca. Participou ativamente como assistente do mesmo em apoio à relatoria da Oitava Conferência Nacional de Saúde. Acompanhou todos os bastidores, polêmicas, conflitos e entendimentos que se desenharam dentro do movimento sanitário naquela conferência (tive o prazer de, em 2006, num evento da Direção Executiva Nacional dos Estudantes de Medicina [DENEM] em Rondônia, poder escutar por uma tarde inteira as histórias com detalhes que esse gigante trouxe para nós, ainda estudantes, com olhos e ouvidos ávidos).

Conheci Marcão em agosto de 2003, numa oficina da Rede Nacional de Educação Popular em Saúde no VII Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva, em Brasília. Fiquei na época impressionado com o entusiasmo daquele senhor, um sonhador por natureza.

Pela memória histórica que tinha de toda a construção da especialidade da MFC no Brasil, foi um incentivador de que a medicina de família e comunidade deveria resgatar elementos de suas raízes, relacionadas à luta pelo direito à saúde no Brasil, e não seguir modelos transplantados, sem mediações, que se constituíam como mera colonização para a nossa APS brasileira.

Estivemos juntos na missão de professores de universidades federais que foram à Cuba, para trocas com profissionais e docentes de medicina geral integral e de saúde pública daquele país, em 2013. Ele também foi o orador da aula inaugural de nosso Programa de Residência em Medicina de Família e Comunidade da Universidade de Brasília, em 2016.

Marcão fazia algumas críticas aos modelos de educação médica que vinham cercados de inovismos nos últimos tempos. Dizia que estavam se construindo uma linha de “Flexner Ampliado”. Falava sobre isso com autoridade, professor que foi há décadas da Universidade Federal de Santa Catarina. Na academia ou na parceria com os movimentos sociais, contribuiu para formação política de gerações.

Seu doutorado é um trabalho belíssimo, onde vai analisar estilos de pensamento em saúde pública. Apresentou para muitos no Brasil o grande epistemologista Ludwin Fleck, como marco teórico.

Ousou em discutir temas, com elegância e a gentileza de sempre, mas nunca abandonando o pensamento crítico. A produção que fez junto com colaboradores sobre a APSe na Venezuela, em 2008, relacionada a Misión Barrio Adentro, é um primor de originalidade.

Gigante, você vai deixar saudades, velho comunista.

Sempre estará aqui no coração!

Obrigado por tudo!

Vinícius Ximenes
Médico de Família e Comunidade
Sanitarista
Diretor de Mercado de Trabalho e Exercício Profissional da SBMFC
Coordenação Nacional da Rede Nacional de Médicas e Médicos Populares
Amigo e admirador de Marco Aurélio Da Ros