Busca Junte-se a nós

Ansiedade

Ansiedade

 

O que é?

A ansiedade é uma reação natural que faz parte da natureza humana necessária para o estabelecimento de estratégias que nos protejam de situações de perigo, seja este físico ou psicológico.

Ao contrário do que muitos imaginam, a ansiedade é uma emoção necessária para a sobrevivência e para o alcance de um bom desempenho nas tarefas diárias. É uma emoção semelhante ao medo. E, é exatamente pela preocupação e expectativa geradas pela ansiedade que tomamos as medidas necessárias para lidarmos com situações que consideramos perigosas para nossa integridade física ou moral. Por isso nos preparamos para uma prova, ma entrevista de emprego ou corremos para nos salvar de um incêndio. No entanto, quando essa reação atrapalha ou até mesmo impede o cumprimento de nossas tarefas, ela se torna uma doença.

No Brasil, os transtornos de ansiedade são os mais comuns dentre todos os transtornos psiquiátricos, sendo duas vezes mais frequente no sexo feminino e dez vezes mais comum entre indivíduos com familiares diagnosticados com algum transtorno de ansiedade.

Sintomas

São manifestações comumente observadas nos transtornos de ansiedade: Dor no peito, palpitação, taquicardia (batimentos cardíacos acelerados), desconforto respiratório, respiração ofegante, dor no estômago, dor de cabeça, tonturas, formigamento, tensão muscular, tremores, suar muito, boca seca, insônia, dificuldade para engolir alimentos (nó na garganta), dificuldade de concentração, medo ou irritação sem motivo aparente, entre outros sinais e sintomas.

No entanto, todas essas manifestações podem ocorrer rotineiramente de acordo com os acontecimentos da vida diária. Também pode apresentar redução da produtividade, tanto em casa como no trabalho, e, portanto, podem ser extremamente dependentes financeiramente e emocionalmente. Além disso, conforme a intensidade dos sintomas, a funcionalidade do indivíduo pode ser gravemente afetada, levando ao desemprego, isolamento social e até disfunções sexuais.

Importante destacar ainda que, assim como qualquer doença, quando um membro de uma família apresenta um transtorno de ansiedade, todos são afetados pela dependência e custos que esses transtornos podem trazer. Por isso, o tratamento a família também desempenha um papel fundamental. A banalização dos sintomas descritos pelo familiar pode atrasar o diagnóstico do transtorno e favorecer a evolução para um quadro crônico.

Diagnóstico

Somente a presença das manifestações da ansiedade não é suficiente para o diagnóstico de um transtorno de ansiedade, é preciso avaliar como isto ocorre e como cada um vivencia esta experiência.

O que diferencia o normal da doença é: a intensidade, a duração e a frequência com a qual esses sintomas acontecem, o prejuízo que trazem para o desempenho do indivíduo e as alterações no sono, no apetite e no desejo sexual.

Portanto, abaixo estão algumas questões que podem identificar a necessidade da procura por assistência médica ou psicológica. A maior parte das perguntas pode ser utilizada tanto na avaliação individual quanto na avaliação de um familiar, a divisão proposta é apenas para fins didáticos.

De acordo com o diagnóstico há diversas opções de tratamento e/ou controle disponíveis: terapias comportamentais, tratamento medicamentoso e técnicas de relaxamento. Durante a avaliação médica, é possível a discussão sobre essas diferentes opções e quais são as mais indicadas.

Tipos de avaliação

Avaliação individual: Minhas preocupações são proporcionais ao problema que tenho? Sinto-me preocupado sem motivo aparente? Com que frequência me sinto preocupado? Esses sentimentos estão prejudicando o meu trabalho/ minhas relações familiares / sociais? Estou comendo muito mais ou muito menos? Estou emagrecendo/ engordando? Perdi o interesse sexual? Tenho pensamentos desagradáveis que não saem da minha cabeça? Tenho lembranças constantes de algum evento traumático?

Avaliação de um familiar: Meu familiar está se isolando? Está frequentemente evitando situações semelhantes? Demonstra medo desproporcional quando exposto a essas situações? Faz uma mesma ação repetidamente (exemplo: tranca e destranca a porta diversas vezes)? Está faltando muito ao trabalho/escola? Está mais irritado/impaciente/inquieto do que o habitual?

O que mais você deve saber sobre a ansiedade?

O mais importante sobre a ansiedade é perceber o quanto a vida do indivíduo é afetada por essa reação exacerbada. Atualmente, viver correndo é o mais comum, estar sempre preocupado é considerado normal, tendo em vista os riscos e desafios da vida diária. Contudo, ter a sensibilidade de que o estresse está além dos limites aceitáveis é um compromisso não somente com a nossa saúde como também com nossos familiares e a comunidade onde estamos inseridos. Sendo assim, esteja atento às manifestações da ansiedade, evite situações estressantes, busque sempre o equilíbrio e assistência médica quando necessário.


Autora:
Verônica Destêrro
veronicadesterro@gmail.com