Busca Junte-se a nós

Modelos de previsão de risco para diabetes mellitus tipo 2

Houve uma pesquisa significativa sobre o risco de modelos de preditivos para diabetes mellitus tipo 2. Estes pesquisadores do Reino Unido realizaram uma revisão sistemática utilizando métodos quantitativos e qualitativos para avaliar estes modelos. Medline, PreMedline, Embase, Cochrane e Google Scholar foram utilizados.

Estes pesquisadores descobriram: “8864 estudos foram verificados, 115 textos integrais considerados e 43 trabalhos incluídos no resultado final. Estes descreveram o desenvolvimento prospectivo ou a validação, ou ambos, de 145 modelos de previsão e graus de risco, 94 dos quais foram estudados em detalhes aqui. Eles foram testados em 6,88 milhões de participantes acompanhados por mais de 28 anos. A heterogeneidade dos estudos primários impediu uma meta-análise. Alguns, mas não todos os modelos os graus de risco possuíam fortes propriedades estatísticas (por exemplo, boa discriminação e calibragem) e foram externamente validados em uma população diferente. Marcadores genéticos não adicionaram nada aos modelos sobre fatores clínicos ou sócio-demográficos. A maioria dos autores descreveu seus resultados como “simples” ou “facilmente implementado”, embora poucos tenham sido específicos sobre usuários pretendidos e em que circunstâncias. Dez mecanismos foram identificados a medição do risco de diabetes poderia trazer resultados. Estudos de acompanhamento que aplicaram graus de risco como parte de uma intervenção tinham como objetivo reduzir o risco real nas pessoas eram escassos.”

Estes pesquisadores concluíram: “Muito trabalho foi realizado para desenvolver modelos e graus de risco de diabetes, mas a maioria é raramente utilizada porque requerem testes de avaliação não rotineira ou foram desenvolvidos sem ter em mente um usuário específico ou utilidade específica. Encorajadoramente, pesquisas recentes começaram a abordar a usabilidade e o impacto da diabetes em altos graus. Duas áreas promissoras para maiores pesquisas são intervenções que prontamente permitem às pessoas checarem seus próprios riscos de diabetes e utilização dos graus de risco em conjuntos de dados da população para identificar “pontos quentes” de alto risco para intervenções de saúde em público alvo.”

A maioria dos modelos preventivos dos riscos de diabetes tipo 2 não são clinicamente úteis

Para o resumo completo, clique aqui.

BMJ 343:d7163, 28 de novembro de 2011 © 2011 BMJ Publishing Group Ltd.
Modelos de risco e resultados para diabetes tipo 2: estudo sistemático. Douglas Noble, Rohini Mathur, Tom Dent, Catherine Meads, Trisha Greenhalgh,.Correspondência para D Noble: d.noble@qmul.ac.uk

Categoria: T. Endócrino/Metabólico/Nutricional. Palavras-chave: diabetes mellitus, diabetes, tipo 2, risco, modelo, estudo sistemático, Journal Watch.
Sinopse editada por Dr. Paul Schaefer, Toledo, Ohio. Publicada em Global Family Doctor 23 de dezembro de 2011