Seminário reforça a importância da abordagem da sexualidade nas consultas da Atenção Primária

17 de abril de 2019

Petrópolis foi a cidade-sede da segunda edição do Seminário de Sexualidade e Diversidade, realizado entre 12 e 14 de abril. Organizado pelo Grupo de Trabalho de Gênero, Sexualidade, Diversidade e Direitos da SBMFC, o evento contou com a participação de 200 pessoas interessadas em discutir a importância da abordagem da sexualidade, com contexto científico.

O público formado por médicas e médicos de família e comunidade, profissionais da APS, Educação e Direito, acadêmicos e residentes, se distribuiu entre palestras e oficinas realizadas durante os três dias na Faculdade de Medicina de Petrópolis, que cedeu o espaço para o seminário.

Débora Teixeira, coordenadora do GT e uma das organizadoras do evento, ressalta a importância do debate da sexualidade de forma científica na APS. “Como médicos que tem como responsabilidade cuidar das pessoas, famílias e comunidades de maneira integral, social e culturalmente sensível, discutir as questões de gênero e sexualidade e seus impactos na saúde é fundamental. São temas transversais e estruturantes que influenciam a nossa prática de diferentes maneiras. Mas muitas vezes, no dia a dia, são usados referenciais do senso comum e da vivência pessoal do profissional. Então neste sentido o Seminário funciona como uma oportunidade do nosso grupo de trabalho mostrar que existe um corpo de produção científica e saberes interdisciplinares que podem auxiliar na prática profissional. Além disso, muitos de nós, somos educadores – professores e preceptores – e pautamos a importância desses temas estarem na graduação e também na residência médica. Os participantes sinalizaram em diferentes momentos que tem em suas formações pouco ou nenhum contato com os assuntos discutidos”.

A atividade de abertura, conferência Cuidado em Tempos de Crise, foi ministrada por Leonardo Boff, com foco na promoção de caminhos possíveis para o cuidado em saúde. Os temas das mesas-redondas foram organizados em: Multiprofissionalidades na abordagem da sexualidade centrada na pessoa; Cadê o sexo na consulta?; Adolescência e sexualidade; Reconhecer, conscientizar e agir: um enfoque para iniquidades e saúde.; Construção, identidade, expressão de gênero e saúde. Já as oficinas, focaram na

Saúde da mulher lésbica; Abordagem Familiar e a Família de LGBT; Acolhimento da mulher frente a gravidez indesejada; Habilidades de comunicação nas abordagens da população LGBTI na Atenção Primária, entre outros.

Representando a SBMFC, a diretora de comunicação Denize Ornelas ressalta que os temas pautados no seminário atendem uma demanda crescente de estudantes, residentes e médicos em relação a aprofundar os debates de gênero e sexualidade. “O tema central do evento `De mãos dadas com o cuidado’ aponta para a necessidade que os profissionais de saúde têm colocado de que o assunto seja debatido de forma à instrumentalização da prática clínica, dentro do contexto das habilidades de comunicação, da mudança de postura desses profissionais, de construção de método clínico centrado na pessoa, desde o momento do entendimento da pessoa como um todo, até o compartilhamento de decisão e da construção de um plano de cuidado que realmente faça sentido para as pessoas”.

O seminário contou com espaço recreativo, direcionado a crianças cujos pais e cuidadores inscritos no evento, para que pudessem usufruir da grade científica, sem preocupação com os pequenos que se divertiram na área externa, com brinquedos e monitores. Os monitores foram estudantes de graduação voluntários de Petropolis, Rio e São Paulo interessados no tema do seminário. 

“A sexualidade faz parte da vida de todas as pessoas. Que médicos e médicas de família seríamos se não fossemos capazes de acolher e lidar com as essas questões ao longo de anos de acompanhamento de um paciente? O Seminário forneceu ferramentas práticas e discussão conceitual para os médicos e médicas de família. A Faculdade de Medicina de Petrópolis foi parceira de primeira hora e garantiu toda a estrutura necessária para a realização do evento”, comenta Julia Morelli Rosas, coordenadora da residência e do internato em MFC da Faculdade de Medicina de Petrópolis que cedeu o espaço para o evento.

Quando comparada com a primeira edição, Débora explica sobre o aumento do público. “Tivemos um aumento do público e muitas inscrições de propostas de atividades científicas pelo nosso edital, e neste sentido foi possível diversificar as temáticas discutidas. Dobramos o número de oficinas em comparação ao ano passado”. E sobre o próximo seminário, já antecipa a agenda. “Nossos planos são da terceira edição do Seminário acontecer no próximo ano, no primeiro semestre, provavelmente no mês de maio. A cidade ainda está sendo decidida”. Acompanhe a agenda de eventos da SBMFC nas redes sociais e na página: https://www.sbmfc.org.br/eventos-cursos-e-congressos/

Para conferir as fotos do evento, acesse álbum da página do facebook da SBMFC neste link.