Busca Junte-se a nós

Sildenafil para o tratamento da fibrose pulmonar idiopática avançada?

Estes autores dos EUA testaram a hipótese de que o tratamento com sildenafil melhoraria o teste de caminhada, a dispneia, e a qualidade de vida em pacientes com fibrose pulmonar idiopática avançada, definida como uma capacidade de difusão de monóxido de carbono 35% abaixo do valor previsto. Eles conduziram um estudo duplo-cego, randomizado, controlado por placebo do sildenafil em dois períodos. O primeiro período consistiu de 12 semanas de uma comparação em duplo-cego entre o sildenafil e um controle de placebo. O segundo período voi uma avaliação de 12 meses de rótulo aberto envolvendo todos os pacientes recebendo sildenafil.

Eles descobriram que: "Um total de 180 pacientes foram inscritos no estudo. A diferença na resposta primária não foi significativa, com 9 de 89 pacientes (10%) no grupo do sildenafil e 6 de 91 (7%) no grupo do placebo tendo uma melhora de 20% ou mais no teste de caminhada de 6 minutos. Houve pequenas mas significativas diferenças na oxigenação arterial, capacidade de difusão de monóxido de carbono, grau de dispneia, e qualidade de vida favorecendo o grupo do sildenafil. Os eventos adversos graves foram semelhantes nos dois grupos do estudo."

Este estudo não mostrou benefício para sildenafil para a resposta primária. A presença de algumas respostas secundárias positivas cria um equilíbrio clínico para futuras pesquisas.

O benefício parece duvidoso.

Para o artigo completo, clique aqui.

N Engl J Med 363:620-628, 12 de agosto de 2010 © 2010 para a Massachusetts Medical Society
A Controlled Trial of Sildenafil in Advanced Idiopathic Pulmonary Fibrosis. Rede de Pesquisa Clínica da Fibrose Pulmonar Idiopática. Correspondências para Dr. Zisman: dzisman@sansumclinic.org

Categoria: R. Respiratório. Palavras-chave: fibrose pulmonar idiopática, sildenafil, teste de caminhada, dispneia, qualidade de vida, ensaio clínico randomizado, observatório de revistas.
Sinopse editada por Dr Linda French, Toledo, Ohio. Publicado em Global Family Doctor 31 de agosto de 2010